segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

caderninho da vovó



Celebrando a minha volta à blogosfera (obrigada ,amigos e leitores, pelos comentários de apoio!), publico uma receita. Pertence à minha tia-avó, fazemos quase todos os anos em alguma comemoração, e ela tem lá suas particularidades. A primeira é, justamente, ser uma receita de família - com toda a carga emocional que exala da panela. A segunda é que ela é simples demais, e não tem como errar. Lembram que comentei sobre a minha sobremesa de Natal, que (quase) deu errado? Pois é: inventei de pegar receita de livro estrangeiro traduzido no Brasil - ou seja, com receitas que, não necessariamente, tenham sido reproduzidas e adaptadas aos ingredientes brasileiros (e digo isso não sem conhecimento de causa, já que sou jornalista da área). O resultado é que faltou ingrediente no preparo, quantidades deram errado e eu só a salvei porque tenho um pouquinho de cancha prá doces - já que sempre sou escalada para esta seção do menu nos almoços festivos em família. A terceira é que essa galantine que vos apresento não tem nada de low fat, no-carbo ou rica em ômega-3 etc, etc. Como o bolo de laranja, que alguns leitores reproduziram e adoraram, tem ingredientes "saudavelmente incorretos" - por exemplo, um enlatado - , mas é boa prá burro! Nas festas aqui em casa, por exemplo, com uma torradinha como suporte, ela acaba num piscar de olhos! Quem quiser experimentar, depois me conte.

Galantine (ou como a vovó escreveu no seu caderno de receitas, "gelatina salgada delicada")

Ingredientes

1 lata de creme de leite sem soro, gelado
1 colher (sopa) de picles
1 colher (sopa) de uvas-passas sem sementes
1 colher (chá) de molho inglês
1/2 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de mostarda
1 lata pequena de patê de fígado ou de galinha
3 folhas de gelatina vermelha ou 1/2 pacote de gelatina em pó
1/8 de tablete de caldo de carne dissolvido em 50 ml de água fervente

Preparo

Bata no liquidificador os 6 primeiros ingredientes. Junte, então, o patê e a gelatina, desmanchada no caldo de carne, batendo até a mistura ficar bem cremosa e homogênea. Despejar numa fôrma-corôa, untada com óleo, e levar ao refrigerador. Depois de gelada e na hora de servir, retire da fôrma, mergulhando rapidamente em água fervente. Sirva com saladas (servimos, também, com torradas).

9 comentários:

Kats disse...

vou tomar todas hoje à noite na festa da Engenho para comemorar o seu retorno triunfal. adorei a receita! bjs e muuuuitas saudades!!!

nice lopes disse...

oi, Cris! adoro comer torradas com essas "coisinhas" deliciosas em cima, rs...vou experimentar! bem-vinda de volta!

Carol Costa disse...

Êba, voltou! Vou experimentar fazer essa em casa.

Beijos!!!

Sérgio Lüdtke disse...

Cris, ótimo tê-la de volta. Gosto muito de seu blog.

Cris Couto disse...

Kats, querido, hoje a gente se vê, finalmente!! até à noite! bj

Cris Couto disse...

carolzinha, faça que é tudo de bom! não tem erro. bj

Cris Couto disse...

sérgio, obrigada pelo apoio! um abraço,

Cris Couto disse...

oi, nice, depois me conte se gostou. é tão fácil... o povo está amando o cartão que vc fez prá mim... bj

nice lopes disse...

vou fazer neste fim-de-semana pra agradar o namorido, rs...ai! fico muito feliz que as pessoas estejam gostando do cartão...eu quero um pra mim, rs...beijos!