domingo, 17 de maio de 2009

Ícone português


istockphoto
Meu amigo Ricardo Bohn Gonçalves faz, nesta segunda-feira, dia 18, uma degustação especial em sua Wine School. Serão provados ícones da vinícola portuguesa Casa Ferreirinha, comandada pelo próprio enólogo da casa, Luís Sottomayor. Serão colocadas à prova 4 safras do Reserva Ferreirinha, segundo Bohn "as únicas produzidas na década de 90", e a safra 2000 do mítico Barca Velha. Para acompanhar essas jóias, um menu preparado pelo chef Pier Paolo Picchi, do restaurante Picchi.

Seguem os detalhes do evento:
couvert
vinho Planalto 2006

Polenta com ragu de linguiça
Reserva Ferreirinha 1997 e 1996

Agnoloti ao molho de assado
Reserva Ferreirinha 1994 e 1990

Stracotto ao vinho tinto com purê de batata
Barca Velha 2000

Semifreddo de nozes com molho de café e mel; frutas
Porto Offley Late Bottle Vintage 2003

O Barca Velha é o vinho-mito português por excelência. Nasceu no Douro em 1952, onde até então só se faziam vinhos do Porto, pelas mãos de Fernando Nicolau de Almeida, provador-chefe da casa Ferreira. Depois de visitar centros de enologia franceses importantes, Nicolau voltou a Portugal e utilizou para seu vinho de mesa as mesmas uvas com que se faziam o vinho do Porto (tinta roriz, tinta amarela e touriga francesa, além de outras uvas locais, que iriam lhe conferir mais acidez).
um dos segredos estava em controlar a temperatura de fermentação

Baseado no que havia visto em Bordeaux, instalou cubas fechadas, em lugar de utilizar lagares de pedra (como era comum no Douro), que enchia costantemente de gelo para controlar a temperatura. "Foram os primeiros vinhos com tmeperatura controlada em Portugal", garantiu Francisco Olazabal, proprietário da Quinta do Vale Meão, em entrevista à revista Adega. A Quinta do Vale do Meão entra na história porque eram de lá que vinham as uvas que compunham o Barca Velha, assim chamado apenas os vinhos de safras excepcionais (as outras são denominadas Reserva Especial), lançados anos depois de vinificados.

Manuel Carvalho, da revista portuguesa de vinhos Wine, diz que o Barca Velha é um mito porque, além de sua qualidade e consistência, "é originado por uma cultura enológica e empresarial que resiste à ditadura da pressa dos nossos tempos". Para o enófilo Jorge Lucki, "o que está em questão não é apenas qualidade; tem a ver com emoção. Só os mitos conseguem isso".

A degustação acontece às 20h30, no restaurante Picchi, e custa R$ 380 (incluído serviço).

Picchi (rua Jerônimo da Veiga, 36, Itaim-Bibi, São Paulo, 11/3078.9119)

2 comentários:

NOSSO VINHO disse...

Cristiana
Obrigado pela visita ao NOSSO VINHO. Seu blog é muito interessante e de muito bom gosto. Acabei de criar um link para o seu blog no meu Bloroll.
Abraços
Paulo Queiroz

Mariah disse...

ooi tudo bem?
tenho um blog no blogspot também e fiquei boba com o teu ipod tocando músicas e clipes online!
queria saber, como que tu colocou conseguiu isso?
gostaria muito de colocar no meu também!

obrigado beijoos