quinta-feira, 1 de novembro de 2007

A arara e a jabuticaba


Guilherme Andrade
Nada como sair de São Paulo. Pisar em ruas calçadas com pedras, ver o horizonte largo, árvores carregadas de manga, ouvir o sino da matriz. Pagar R$ 2 por um pote generoso de sorvete caseiro com frutas colhidas ali no quintal, comer galinha caipira de verdade, ver senhoras, guardiãs da sabedoria culinária de seus antepessados, preparando pratos cujos macetes nenhum livro de receitas traz. E no meio disso tudo, uma arara gourmand.

Esta é a Rosa, a arara mascote da pousada Casarão, em Pirenópolis. Rosa tem 5 anos, mas pode viver até os 90. Seus donos não sabem se ela é macho ou fêmea (é preciso exame de sangue), mas o carinho por ela está acima das questões de gênero. Rosa se alimenta de frutas e sementes como todas as araras, mas tem suas preferências. Por exemplo, não come a casca da banana: ela descasca-a com o bico, come a polpa e joga a casca fora. E adora jabuticaba - desde que maduras, claro. Delas, toma apenas o suco. Esta é a Rosa. Isso é Pirenópolis.

2 comentários:

Wine Broker disse...

Parabéns! É muito bom dar uma volta pelo interior, a gente volta bem, com as pilhas carregadas.
Lí a semana passada os comentários da Nina Horta, na Folha, de seu livro( acho que vou antecipar o presente de final do ano) e postei no meu também.
Um abraço
Rubén Duarte

Anna disse...

Achei você aqui resolvi comentar, porquê vi uma arara mito bonita e comentário sobre Pirenópolis. Tem uma foto no meu blog da Matriz de lá.Talvez queira ver.A Foto é muito linda. Apareça.
Animado o seu blog.Gostei.
Até mais.