segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Comida da nona


Fotos: Gabriel Boieras
Sempre promovendo eventos de qualidade em torno da gastronomia – um dos últimos, por exemplo, foi um cardápio inesquecível elaborado pela supercozinheira Lourdes Hernandez – o restaurante Obá recebe, até o dia 14 de outubro, outra convidada para assinar alguns pratos na casa. Desta vez é a italiana Nicoletta Mattoli, que nuca teve restaurante, mas fez a alegria de filhos e parentes em trono da mesa. Uma idéia louvável do restaurante, essa busca por cozinheiras anônimas e abençoadas, a apresentação delas num ambiente de restaurante, onde muitos dos que ali comem provavelmente não tiveram o privilégio de ter mães e avós cozinheiras. Nicoletta prepara 20 pratos, alguns deles da Úmbria, sua terra natal. Alguns deles:

straciatella (R$ 12): sopa típica da Itália feita de ovos e queijo cozidos em caldo misto de carne, frango e verdura
espaguete al Rancetto (R$ 29): com molho de tomate, toucinho e manjerona
faraona in Salmi (R$ 39,50): galinha-d’angola servida com seu molho, batata e mostarda
rocciata (R$ 13,50): uma espécie de strudel, feito com massa folhada e azeite em lugar de manteiga, típico de Assis

Espaguete al Rancetto, da dona Nicoletta

Tem bem cara de nona, não? E olha ela, não é uma gracinha?!?

Obá (rua Melo Alves, 205, Jardins, tel. 11/3086.4774)

Um comentário:

saborcomletras disse...

Alcançar a essência dos sabores é entrar em sintonia com lembranças guardadas em arquivos que criamos para preservar nossas memórias mais tenras. O cheiro de quintal lá da infância da gente, o gosto do almoço caprichado aos domingos, as conversas com a mãe à beira do fogão, o café da manhã com pão quentinho, os sonhos partilhados, o cheiro de feijão cozinhando na panela, o aroma de erva colhida na hora, um finalzinho de tarde com encanto. Tudo isso é despertado quando conseguimos reproduzir o sabor de pequeninos gestos tecidos a luz do cotidiano de uma cozinha afetiva.